segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Ranking JKA do Brasil



RANKING JKA DO BRASIL

Para contar pontos no ranking, serão consideradas quatro competições oficiais: Campeonato brasileiro JKA, Sul-americano JKA, Pan-americano JKA e Mundial.
Para o ranking, será considerada apenas a categoria adulta, separado em kata e kumite/ masculino e feminino.


Os objetivos do ranking são:
  1. Facilitar a captação de patrocínio pelos atletas, logo pela seleção.
  2. Atletas que conquistem colocações de destaque no ranking nacional terão mais argumentos para captar patrocínio.
  3. Usa-lo como um dos critérios de convocação para a Seleção Brasileira.
Todo o novo atleta que competir, tem o direito de saber quais são a chances de ele fazer parte desta Seleção, e por sua vez, todo o atleta que estiver bem ranqueado, tem que ter a tranquilidade, e saber que não será uma luta que mudará toda sua trajetória. Os atletas convocados devem ser vistos como referência, e sua conquista deve ser inquestionável, para que a Seleção se fortaleça ainda mais.
Já aconteceu de atletas de ponta, com histórico amplamente favorável em eventos nacionais e internacionais, se lesionarem antes de um campeonato brasileiro e não poderem competir, ou de perderem nas primeiras rodadas por algum motivo (erraram o kata, pegaram uma chave difícil de kumite, etc…). Eles não foram convocados, porque o único critério de convocação, até então era o desempenho no campeonato brasileiro anterior ao internacional. Com isso, a Seleção saiu perdendo (exemplo: um dos melhores atletas de kata individual do Brasil, Andrew Marques (SP), não fez kata individual no mundial da Irlanda, porque, perdeu no campeonato brasileiro apenas para o CAMPEÃO. Com isso, o Brasil perdeu a chance de colocar mais um atleta nas finais, entre os oito melhores do mundo).
Outros exemplos:
  1. Rafael Moreira em 2006, quase não foi convocado para o Mundial, pois no campeonato brasileiro não foi bem. Ficou em os oito melhores do mundo.
  2. Wagner Pereira em 2011, havia sido vice-campeão brasileiro e não lutou na Tailândia.
  3. Cesar Cabral em 2014, havia sido vice-campeão Sul-americano e não lutou individualmente no Mundial do Japão.



Outro motivo para se usar o ranking é o atleta poder começar a se preparar antes. Não é possível para um atleta começar a fazer uma preparação para um campeonato mundial ou sul-americano que será realizado em agosto, no mês de maio (após o brasileiro e convocação). Três meses é pouco tempo para uma preparação específica, para uma competição de altíssimo nível. Com o ranking, os atletas nas posições mais elevadas poderão garantir vaga na Seleção com um ano de antecedência, e estarão certamente melhor preparados para um Sul-americano, Pan-americano ou Mundial.


A ideia do ranking é apresentar a todos a história que os atletas escreveram na JKA do Brasil, mas para critério de seleção levar em conta os resultados nos últimos três anos (um ciclo de mundial), premiando dessa forma aqueles atletas mais regulares, que estão sempre nos lugares mais altos do pódio.


SISTEMA DE PONTOS


CAMPEONATO BRASILEIRO
Ouro individual: 12 pontos
Prata individual: 6 pontos
Bronze individual: 3 pontos
Quarto lugar em kata individual: 1 ponto
Ouro por equipes: 5 pontos para cada integrante
Prata por equipes: 3 pontos para cada
Bronze por equipes: 1 ponto para cada
Bônus de participação no campeonato brasileiro: 1 ponto


CAMPEONATO SULAMERICANO-PANAMERICANO
Ouro individual: 24 pontos
Prata individual: 12 pontos
Bronze individual: 6 pontos
Quarto lugar em kata individual: 2 pontos
Ouro por equipes: 10 pontos para cada integrante
Prata por equipes: 6 pontos para cada
Bronze por equipes: 2 ponto para cada
Bônus de participação no campeonato sul-americano : 2 pontos


CAMPEONATO MUNDIAL
Ouro individual: 48 pontos
Prata individual: 24 pontos
Bronze individual: 12 pontos
Best Eight em kata ou kumite individual: 6 pontos
Ouro por equipes: 20 pontos para cada integrante

Prata por equipes: 12 pontos para cada integrante
Bronze por equipes: 6 pontos para cada

Best eight por equipes: 3 pontos por integrante

Bônus de participação no campeonato mundial: 4 pontos

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Karate jka ganha mais uma no mma


No dia 30 de setmbro foi realizado, na cidade de São José do Rio Preto, SP, o 39 Predador Fight Championchip.

Rafael Coxinha (SP), aluno da lenda do karate Tradicional-JKA Fábio Simões (SP), lutou na categoria até 66 kg.
Mais uma vez, Coxinha, que reoresentou a Seleção Brasileira na categoria 19 a 21 no mundial da Irlanda,, conquistou uma vitória no mma.
Dessa vez ele venceu por pontos, em uma luta onde dominou completamente na trocação, e evitou as tentativas de queda do seu adversário.

Utilizando-se exclusivamente do karate Shotokan JKA, Coxinha atacava sempre com muito perigo, e defendia usando a saída de distância - característico do nosso karate.

Parabéns a esse jovem lutador que cada vez mais se firma tanto no karate quanto no mma.

OSS!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Karate mma conection


Dia 2 de dezembro, no Rio de Janeiro,  será realizado o I curso Karate MMA Conection.
O curso será ministrado em três etapas:
- Karate original de okinawa (sensei Jesse Enkamp)
- Karate de competição (sensei Jayme Sandall) 
- Karate jutsu (sensei Vinicio Antony)

Em Dezembro de 2017 a International Association of Karate Justu traz pela primeira vez ao Brasil o Seminário Internacional "Karate MMA Connection"
Com os Sensei Vinicio Antony,
Jayme Sandall e pela primeira vez no Brasil o "best seller" mundial idealizador do seminário internacional KNX - Jesse Enkamp.
Um seminário três grandes nomes do Karate mundial!
Não perca essa oportunidade!
Vagas limitadas! (50)
Os primeiros 20 inscritos receberão um kit com o livro e o DVD "Jutsu A Arte Oculta no Karatê - do Sensei Vinicio Antony.
Distribuição para os participantes de kits de"alimentação esportiva" (Whey Protein)
O seminário terá um dia de duração:
 O evento tem o apoio do Hotel Praia Linda na barra da tijuca, que está disponibilizando suas excelentes instalações para os participantes do evento a preços especiais!

8:20 - Check-in ;
9:00 - Palestra motivacional:
Desenvolvimento do foco e direcionamento no treinamento das Artes marciais!
9:30 - O Karate de Okinawa - Sensei Jesse Enkamp!
11:40 - Releitura dos Kata Shotokan - Sensei Vinicio Antony
13:00 - Coffee-break
14:00 - Técnicas de Shiai Kumitê - Sensei Jayme Sandall.
15:40 - Treinamento postural e drills para" Ne Waza". com o professor convidado Guilherme Alonso.
16:30 - Intervalo
17.:00 - Transições para o MMA - Sensei Vinicio Antony.
19:00 - Encerramento, entrega de certificação.
20:00 - Festa de confraternização.
As inscrições serão abertas na segunda quinzena de setembro! Os interessados deverão se cadastrar através do www.abkj.com.br ou contato@abkj.com.br
http://abkj.com.br/website/produtos/
Não perca essa oportunidade!! 


XXIX Campeonato Brasileiro de Karate-dô Tradicional

Kumite individual masculino

Enbu misto

Kata por equipes masculino 

Fukugo


Kata por equipes

** Informações e fotos gentilmente cedidas por Martinna Rey (BA) e César Cabral (SP)

Aconteceu, nos dias 07, 08 e 09 de setembro, o vigésimo-nono campeonato brasileiro de karate-dô Tradicional, na cidade de Salvador, BA.

O evento contou com a presença de mestres como Yoshizo Machida e Ugo Arrigoni, Gilberto Gaertner (PR) e Sérgio Bastos (BA)

A competição estava lotada, como sempre, e os melhores atletas do Brasil estavam presentes.

FEMININO
 No feminino, a Bahia levou o título em todas as categorias!
No kata por equipes, conquistaram o título deixando as gaúchas, campeãs brasileiras de 2016, e atuais campeãs brasileiras JKA em segundo lugar.

No kumite por equipes, a equipe formada por Lelia Pires, Martinna Rey e Letícia Aragão e Joana Andrade derrotou a forte equipe paranaense na final.

No kata individual, Letícia Aragão (BA), atleta da Seleção Brasileira JKA e Tradicional, venceu a atual campea brasileira e sulamericana JKA, Manuela Spessatto, com um Gojushiho Dai fantástico.

No fukugo, o título ficou na Bahia através de Martinna Rey, que é considerada a atleta que melhor faz o kitei kata em nosso país (entre homens e mulheres). Na final, venceu a gaúcha Manuela Spessatto.

No kumite individual, a grande lutadora Jamilly Farias (BA), considerada por muitos como uma das maiores estrategistas do kumite feminino, conquistou o título pela terceira vez (2013, 2014 e 2017). Na semi, ela passou pela atleta Ana Cherly (CE). Do outro lado da chave, Letícia Aragão vencia a conterrânea Martinna Rey. Na grande final, duas baianas se enfrentando pelo título. A campeã panamericana de 2013 levou a melhor.


MASCULINO

Entre os homens disputas muito acirradas entre os melhores atletas do Brasil.
No kata por equipes a Bahia ficou com o título depois de 13 anos!
No kumite por equipes, o Rio de Janeiro passou pela forte equipe do Mato Grosso. Na outra semi, Bahia e Rio Grande do Sul. Empurrada pela torcida, a equipe da casa passou para a grande final. Reeditando a final de 1996, no campeonato brasileiro realizado também em Salvador, Rio e Bahia repetiram o resultado de 11 anos atrás: Rio de Janeiro campeão.

No kata individual, o ouro ficou na Bahia mesmo - o estado com o maior número de títulos de kata individual da história do Tradicional. Allan Araújo venceu, deixando o também baiano Dallison Conceição com a prata e o veterano Vladimir Zanca com o bronze.

No fukugo, a lenda Vladimir Zanca (MT), continua mostrando que o tempo parece não passar para ele. Único remanescente em atividade da primeira Seleção Brasileira Tradicional (1991), o super veterano de 47 anos ficou com o título da categoria pela quinta vez! Na final, venceu o campeão de kata, Allan Araújo (BA)

No kumite individual, mais Bahia.
Alfredo Gamas, campeão brasileiro de kumite individual em 2008, passou para a final vencendo o atual campeão panamericano Tradicional César Cabral (SP). Na outra semi, Vinícius Moreno (MT), bicampeão panamericano Tradicional (2011 e 2013) venceu o campeão brasileiro de kumite individual de 2007, Tiago Santana (BA)
Para se ter uma ideia do nível da competição, entre os quatro primeiros colocados havia dois campeões brasileiros de kumite individual e dois campeões panamericanos de kumite individual.
Na grande final, Alfredo Gamas usou de sua experiência para vencer Vinícius Moreno, que, mesmo depois de três anos sem competir, mostrou que continua entre os melhores do Brasil.

Parabéns a todos os atletas que transformaram essa competição em um grande sucesso!

OSS


RESULTADOS

Feminino

- Kata por equipes: 1) BA / 2) RS / 3) MT

- Kumite por equipes: 1) BA / 2) PR / 3) RS

- Kata individual: 1) Letícia Aragão (BA) / 2) Manuela Spessatto (RS) / 3) Martinna Rey (BA)

- Fukugo: 1) Martinna Rey (BA) / 2) Manuela Spessatto (RS) / 3) Suellen Souza (PR) - 3) Letícia Aragão (BA)

- Kumite individual: 1) Jamilly Farias (BA) / 2) Letícia Aragão (BA) / 3) Martinna Rey (BA) - 3) Ana Cherly (CE)

* Atleta-destaque: Letícia Aragão (BA)

Masculino

- Kata por equipes: 1) BA / 2) MT / 3) RS

- Kumite por equipes: 1) RJ / 2) BA / 3) RS - 3) MT

- Kata individual: 1) Allan Araújo (BA) / 2) Dallison Conceição (BA) / 3) Vladimir Zanca (MT)

- Fukugo: 1) Vladimir Zanca (MT) / 2) Allan Araújo (BA) / 3) Joel Araújo (PR) - 3) FRank Manera (RS)

- Kumite individual: 1) Alfredo Gamas (BA) / 2) Vinícius Moreno (MT) / 3) Tiago Santana (BA) - 3) César Cabral (SP)

* Atleta-destaque: Allan Araújo (BA)

domingo, 3 de setembro de 2017

Homenagem a Fábio Simões


Deputado estadual Hélio Nishimoto, Fábio Simões e o presidente da jka do Brasil, Roberto Tanaka


Nessa sexta-feira, 01 de setembro de 2017, o atleta Fábio Simões recebeu uma homenagem do Conselho Regional de Educação Física e da Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo.

Conheço Fabinho há 14 anos.
Tive a honra de lutar com ele 8 vezes em campeonatos.
Somos companheiros de seleção brasileira desde 2004.
Nesse tempo todo, criamos uma amizade imensa, e hoje em dia o considero meu irmão.
Essa cerimônia foi perfeita para homenagear um dos maiores lutadores brasileiros de todos os tempos.
Verdadeira lenda, Fabinho fez ao longo de sua carreira mais de 400 lutas de karate (jka / tradicional / wkf), mais de 20 lutas de boxe amador, 7 lutas de kickboxing e 4 de mma.

Chegou à incrível marca de 19 títulos paulistas de kumite individual (jka e tradicional) , 14 títulos de kumite individual nos jogos regionais (wkf) e 3 títulos brasileiros de kumite individual (jka).
Ele se aposenta da seleção brasileira jka tendo feito 49 lutas pelo Brasil (terceiro atleta com mais lutas na história da seleção)

Fica aqui mais uma homenagem, de toda comunidade do karate jka e tradicional do Brasil.
Parabéns

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

XIV Campeonato Mundial JKA






























* Fotos tiradas e gentilmente cedidas por Paula Milanez. Muito obrigado!

Aconteceu, entre 17 e 20 de agosto de 2017, o XIV Campeonato Mundial de karate-dô JKA (Funakoshi Gichin Cup).
O evento foi realizado na cidade de Limerick, Irlanda, e contou com 1350 atletas de 58 países.

O Brasil enviou 62 atletas que brigaram muito por lugares no pódio.
Infelizmente, dessa vez não conseguimos trazer para casa nenhuma medalha. O resultado, entetanto, não reflete nossa participação. Nossos atletas infanto-juvenis brilharam tanto no kata quanto no kumite, e classificamos diversos deles entre os oito melhores.

No adulto, jamais classificamos tantos atletas para o dia das finais quanto nesse mundial.
Kata por equipes feminino, kata por equipes masculino, kumite por equipes masculino e, pela primeira vez na história, classificamos um atleta entre os oito finalistas de kata individual.
Marcelo Kanashiro (GO) fez história ao pisar no koto central no domingo para apresentar o seu Sochin.

Foi a prmeira vez que um brasileiro teve o privilégio de pisar no koto central para fazer um kata individual. Infelizmente ele pisou fora do koto durante o seu Sochin, e isso lhe custou um décimo de cada juiz.
Isso não tira em nada o brilho de sua conquista. Ele abriu os caminhos para outros atletas acreditarem que podemos trazer uma medalha na categoria.

O kata por equipes feminino obteve a melhor classificação da história do país. O quarto lugar teve gosto de pódio para Manuela, Cristiane e Hannah. As campeãs brasileiras e sulamericanas provaram que é uma questão de tempo até que cheguem ao pódio num mundial.

No Masculino, os heptacampeões brasileiros representaram o Brasil com honra na grande final. Não trouxeram a medalha, mas evoluíram em relação ao último mundial, e isso dá a certeza de que estão no caminho certo.

O kumite individual teve como destaques o estreante em mundiais, Frank Manera (RS), que chegou à final de seu koto, e por muito pouco não passou entre os oito, perdendo no detalhe para um atleta da África do Sul.
Outro destaque foi Fábio Simões (SP), que em seu último mundial, chegou também à final de seu koto. Depois de vencer três adversários de forma espetacular, ele fez a final da chave contra o chileno Rodrigo Rojas, que acabaria por se consagrar campeão mundial no dia seguinte. A luta foi dura, e terminou empatada. No sai shiai, novo empate, com a vitória podendo ir para qualquer um. Na terceira luta (segundo desempate), o chileno conseguiu tirar um wazari com gyako tchudan.
Aos 45 anos, em sua última competição, a lenda Fábio Simões mostrou porque é um dos maiores lutadores de karate brasileiro de todos os tempos, quase vencendo o campeão mundial.

O kumite por equipes, depois de um primeiro dia brilhante, partiu para a semi-final contra a arqui-rival Argentina.
Apesar de sair na frente, o time brasileiro infelizmente não segurou o resultado, e os hermanos conseguiram a virada, vencendo por 2 x 1.
Na outra semi, a fortíssima equipe belga chegou perto de vencer os japoneses, que acabaram vencendo por 3x2.
Na disputa pelo bronze, o Brasil perdeu para a Bélgica por 3x0.
Na grande final, os japoneses pareceram colocar a cabeça no lugar, e fizeram sua melhor luta, fechando o título com uma vitória de 4 x 0 sobre os argentinos.

A hegemonia japonesa continua, sobretudo no kata, onde são imbatíveis, de longe.
Mas no kumite, além de quase terem perdido para a Bélgica na equipe masculina, tiveram que suar muito para vencerem a categoria por equipes feminina. As inglesas empataram o confronto em 1x1 e as japonesas só venceram na luta de desempate.

No individual masculino, o tricampeão sulamericano JKA Rodrigo Rojas (Chile), cravou seu nome entre os maiores lutadores de todos os tempos ao sagrar-se campeão mundial, vencendo a final contra o japones Okhada. Foi apenas a terceira vez em 14 mundiais que um ocidental venceu nessa categoria.

A Seleção Brasileira está de parabens!

OSS!

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Nota de falecimento: sensei Yasuyuki Sasaki

É com imenso pesar que comunico que, no dia 4 de agosto de 2017, o karate brasileiro e mundial perdeu uma de suas mais importantes figuras: sensei Yasuyuki Sasaki.

Nosso grande mestre perdeu a batalha que travava há dois anos contra um câncer.

Desde o início da doença, ele se mostrou forte e enfrentou tudo como um verdadeiro samurai. O tempo todo sua preocupação era de deixar um legado para o karate JKA brasileiro.
Pouco antes de falecer, sensei Sasaki mandou uma vídeo para ser reproduzido no campeonato brasileiro JKA, onde pedia aos atletas postura de samurai, que nao se preocupassem somente com medalhas e títulos, mas acima de tudo que mostrassem um karate com budô.

Seu legado e imenso.

Grande responsável pelo desenvolvimento e engrandecimento do karate JKA no Brasil, sensei Sasaki partiu com a sensação de dever cumprido. Deixou para trás uma entidade forte, em crescimento exponencial, e com o karate budô que ele sempre desejou.

Agora, cabe a nós, que continuamos aqui, dar seguimento ao trabalho do nosso sensei.

Fica aqui registrado o profundo pesar da comunidade do karate Tradicional-JKA pela partida desse grande mestre.

OSS!